14 de fevereiro de 2003

surpresa

é a palavra que me ocorre...
surpresa pela positiva... tanta gente nova por aqui... olhando o mar ou em under_grounds, tanta gente que eu conheço a "bloggar"
e surpreendi-me contigo, fiel...
que te chamar?
sei apenas que me lês sempre...
e surpreendi-me contigo, surpreendi-me a pensar em ti...

vim a casa...
viagem de comboio, não chegava mais... e afligi-me, ao aperceber-me de que já não sabia escrever um poema... senti-me perdida, sinto-me perdida sem um poema...

incessantemente tenho a sensação de que procuras a minha mão por entre os nossos corpos, que se atraem e se reconhecem...
e eu não tenho nenhum poema para te amar...

vamos sacrificar ainda uma cama...
mas só o saberás quando no quarto(...) entrares...

chegar a casa é deixares-me chegar perto de ti.