24 de abril de 2003

ao que cheg�mos...

nomes escritos no �cran pixelizado, duas.moradas @sitios.diversos.um dom�nio comum

a face vincada pela noite, como a minha agora, vista no reflexo das costas da m�o.
ao que cheg�mos...
a vida muda depressa demais para que o pensamento se possa adaptar ao ritmo das situa��es.
embora o tempo nunca tenha existido, embora seja uma inven��o...
ningu�m morre por o querer muito.

Sem comentários: