23 de abril de 2003

um arrepio pela espinha acima, puxando a cabe�a para tr�s e resultando num sorriso incontrol�vel... um sorriso no olhar, por debaixo das p�lpebras.

puseste-te nas minhas m�os. palavras que me vieram de longe, hoje. de muito longe. de h� seis meses atr�s, de uma outra vida, de outras vidas passadas, de outras mortes. de outros.... constrangimentos.

mas hoje.... hoje puseste-te nas minhas m�os, as tuas palavras, ainda que long�nquas, ainda que mais antigas que aquelas que hoje me surpreenderam, as de h� seis meses atr�s... porque as tuas s�o mais long�nquas... e t�o recentes ainda... mas puseste-te nas minhas m�os... e vais pagar essas palavras, vais pronuncia-las como se o quisesses... porque vais quere-las. as minhas m�os, onde te puseste, v�o fazer com que o digas, querendo-o realmente...

vais-me sussurrar ao ouvido a conjuga��o de um verbo que me vai enviar sensa��es diferentes, shivers

fecho os olhos e sorrio, de olhar perdido dentro das p�lpebras... imagens diversas, r�pidas, quentes...

emaranhar-me no mundo
e morrer por ser preciso.
nunca por chegar ao fim

Sem comentários: