10 de junho de 2003

Fernando Pinto do Amaral
in Ac�dia


7

N�o hei-de conseguir falar contigo, � sempre
dif�cil
. Uma imagem
cintila de repente e l� estou eu
nesse baile de m�scaras - revi-o
mais de dez vezes! Foi t�o bom
ficar preso a nenhumas esperan�as, sentir
o vento muito frio.

Percorri os desertos, o inverno
era a esta��o preferida e sobretudo
a noite. Viajava
entre corpos e alma, esse mundo
parecia n�o ter fim; o seu limite
era como um segredo, um olhar
desafiando a morte enquanto esperava por novas ilus�es.

Um telefonema � f�cil de fazer,
podemos encontrar-nos, conversar,
fingir que existe o amor ou qualquer outra
invis�vel certeza, mas n�o h�
lugar algum para fugir-me ainda,
ningu�m nas ruas cada vez mais longas,
e mal vislumbro sob o azul da n�voa
os fragmentos do meu cora��o.

Sem comentários: