7 de julho de 2003

Como poderias tu entrar
pela minha porta
para mudar a minha vida?
Como poderias tu entrar
pela minha porta
agora
ou algum
qualquer dia
se desconheces a minha morada?

Tenho nos olhos uma ferida
que não sara.
E o meu quarto cheira a ti
As minhas mãos cheiram às tuas
E como poderá isso ser
se desconheces a cor
dos caixilhos da minha janela
que são vermelhos
Como poderá isso ser
se desconheces a cor
da maçaneta da minha porta
Como poderá isso ser
se há tanto esqueceste a minha voz.

A tua voz tremendo
Os teus olhos desviando-se dos meus

Sou dispensável à tua vida.
E agora reduziste-te ao essencial.

070703