30 de julho de 2003

não sei se algum dia te disse mas gostava de te abraçar com a vida toda.

e não foi tão estranho assim ter saudades tuas.


está calor... sinto-me apaixonar, voltar a fechar os olhos e perder-me numa infantilidade de movimentos e sorrisos... n há objecto amado, não há um "alguém" amado sequer... apenas um calor, um brilho maior...

vai ser algo difícil separar-me da cumplicidade que temos.