25 de agosto de 2003

estou cansada... quatro horas de conversa ontem à noite assemelharam-se a uma directa que resultou num sono demasiado profundo para que resolvesse algumas questões pendentes...

tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo,tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo,tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo,tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo,tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo, tou farta de ílhavo, e, concluindo esta ideia, tou farta de ílhavo...


ainda bem que já anda gente novamente a cirandar pelo staring e pelo borras... ao menos já me sinto mais acompanhada...

obg maquiavel por esta lista de filmes...

20 de agosto de 2003

há sorrisos de verão que me faltam este ano...

conheci a maria... ou melhor, foi ela que me conheceu... gosto desta menina-de-sorriso-aberto que me aparece à noite lembrar-me do calor de sorrisos nocturnos...


magoaste-me e não é costume passar-se tanto tempo até me dizeres "desculpa, mas eu já te tinha dito que te ia magoar"...
confesso que estou preocupada porque não dás notícias. liga-me. escreve-me. diz-me que não te arrependes.
mas diz-me.

18 de agosto de 2003

à porta de minha casa tenho um degrau que subo e desço cada vez que entro e saio de casa.
tenho um degrau, à porta de minha casa que me gasta as solas dos sapatos novos que calço.


vou partir. à procura de gargalhadas quentes de verão. as mesmas que me faltam este ano...

17 de agosto de 2003

lol lol lol, joana, já me fizeste rir um bocado (pela primeira vez hoje) com este teste...

pure
pure


What's YOUR sexual fetish?
brought to you by Quizilla

16 de agosto de 2003

Al Berto - Regresso às Histórias Simples in O Medo

"6

embebedavas-te
na travessia daquele verão bebias muito vinho
na vertigem de fogosos corpos pouco sabias
acerca do ciúme e da traição

confiavas demasiado em ti eras alto e magro
nunca traficaras armas em Harrar
tinhas o peito cansado o andar lento
e jamais pernoitaras sob o céu de Alexandria

escuta
a partir de hoje abandono-te para sempre
ao silêncio de quem escreve versos
em Portugal
tens trinta e sete anos como Rimbaud
talvez seja tempo de começares a morrer
"

14 de agosto de 2003

por:
João MacDonald e Jorge Manuel Lopes

O futuro é dos jovens jornalistas

Melhor do que a Escola de Natação Para Peixes que uma vez o Peninha fundou em casa do Donald (com um curso de aviação para peixes-voadores), só mesmo a Associação Nacional dos Jovens Jornalistas, apresentada publicamente no final do ano transacto e que é apoiada pela Associação Nacional de Jovens Empresários.
Jovem: se és jovem e ambicioso, tens um curso de jornalista, procuras aventura e emoção, junta-te à Associação Nacional de Jovens Jornalistas, por que eles podem ajudar-te no futuro profissional. Porquê? Porque os Jovens Empresários, que, para quem ainda não saiba, são os garantes da integridade jornalística e do Código Deontológico, encontram-se imbuídos de uma vontade incontrolável de lutar pelos direitos dos Jovens Jornalistas que não se conseguem defender dos Velhos Jornalistas e dos Velhos Empresários. Juntos o futuro sorrirá radioso, as notícias serão mais verdadeiras e que nem sequer se pense na mistura explosiva que pode resultar de combinar jornalistas com empresários. Ambos respeitam-se, amam-se, admiram-se, entreajudam-se, lutam por um propósito comum.
Desta junção associativa pode-se finalmente perceber o que quer dizer a tão usada expressão é estratágia sustentada: em bom inglês, "I scratch your backs and you scratch mine". J.M. (jovem jornalista)


in revista 365
pg
What rating is your journal?

brought to you by Quizilla
bolas, acho que estou doente...

mensagens tuas.
pequenas frases que me perguntam se estou bem, se me vês esta noite.
já sei a resposta. e até tu a sabes.
não.

sim, sei onde te encontrar esta noite, se quiser. não é que possa mas, mesmo que pudesse, não sei se quereria encontrar-te. embora faça planos para te encontrar daqui a uns dias, planos que tu desconheces, não sei se será indicado para o mal do qual sofro.

não me fez sorrir. o teu nome no visor pequeno do telemóvel. não me fez sorrir, não me acelerou a pulsação. preocupante? talvez seja um indício... talvez não. tenho medo de te rever. de sentir o que senti quando te vi, depois de uma breve ausência. o coração batendo mais forte, a tua pele mais morena. o desejo de te desenhar... talvez seja melhor esquecermos-nos um pouco...

luzes fortes, cores quentes, um pouco de calor nocturno, umas gargalhadas com vontade, piadas e cumplicidades. vamos rebobinar esta cassete?


tiraram daqui a imagem que eu tinha... mas podem vê-la em www.decarlo.com.ar... a imagem chama-se luz
estou a pensar em mudar o visual do blog... talvez para algo mais quente. não é o sr. jorge marinho que diz que, quando temos frio devemos usar cores quentes? pois eu estou a pensar em cores muito quentes.

tenho de actualizar e reorganizar os meus links...

vim aqui num intervalo do trabalho... hoje estou "a serviço" todo o dia...

não consigo dormir em condições. já tenho enormes olheiras. nem sonhar. sempre acordada, sempre em sobressalto... não é muito comum nem muito normal em mim. tenho tido tonturas e andado mal disposta fisicamente (o resto não é chamado à questão, por enquanto). não é concepção. só se for imaculada. e para isso ainda não vi o tipo, o gabriel, o das asas...

tenho uma queimadura nas costas e não a consigo curar... como se curam quimaduras de químicos, alguém me sabe dizer?
tou farta de escuteirinhos. não tenho falado em mais nada senão neles e no seu aniversário, que ando a filmar... blargh... às vezes só me apetecia dar-lhes um nó nas pernas...

não me lembro de ter um bocadinho para mim, a não ser talvez ontem à noite quando decidi passar uns poemas a limpo. faz-me falta ler um livro, descansada, sem horário para nada. faz-me falta o porto, os clérigos, quero comprar uma lomo. fazem-me falta algumas conversas, algumas companhias, algumas imagens.

de volta ao trabalho... acabou a minha pausa...

13 de agosto de 2003

não sabia que a tracy champan era homossexual...
that's how you made me feel... speechless.
morreu o alex.

não vou mentir: não era suficientemente próximo para que eu sinta a sua falta imensamente no meu dia-a-dia. mas não era suficientemente afastado para ficar indiferente.
com ele ficam algumas das boas recordações de longas caminhadas, de conversas tolas e de sorrisos. lembro o sorriso e a delicadeza do alex.


o alex morreu em espanha.
já não via o alex há muito tempo.
o alex morreu a trabalhar...
o alex não teve culpa.

não quero falar mais. tenho pensado demasiado em morte este fim de semana. e agora o alex morre.

12 de agosto de 2003

cai. de olhos postos no céu, cai.

eu já sabia, já o pressentia antes de o saber.

e agora estragámos tudo. a cumplicidade nunca será a mesma. danifiquei aquilo que tinha ficado de nós. há coisas que o tempo não apaga. há palavras que se inscrevem em nós. e não, não me lembrei de me apaixonar por ti ao fim de ano e meio. aconteceu. contra vontade. porque tu não estás só. porque eu e tu somos um dos mais bem guardados segredos da minha vida. porque, como todos aqueles que se aproximam de mim, partes. e eu vejo-te partir. ainda que te diga que ainda te escrevo que te sei de cor, que te sinto à flor da pele. mas não valerá a pena dizer-te tais palavras. as minhas dores, que te incomodam, são apenas minhas, são problemas com os quais tenho de lidar. tu não.

não me acreditaste quando te disse "estou a apaixnoar-me por ti". não faz mal. continua a não acreditar. pode ser que assim os estragos sejam menores e tu não dás conta dos problemas que tenho a resolver....

6 de agosto de 2003

coisas que não podia dizer aqui mas vou dizer: estou a apaixonar-me. sei que vou cair mas não consigo tirar os olhos do azul do céu

1 de agosto de 2003

evanescence
my immortal

i'm so tired of being here
suppressed by all of my childish fears
and if you have to leave
i wish that you would just leave

because your presence still lingers here
and it won't leave me alone

these wounds won't seem to heal
this pain is just too real
there's just too much that time cannot erase


when you cried i'd wipe away all of your tears
when you'd scream i'd fight away all of your fears
and i've held your hand through all of these years
but you still have all of me

you used to captivate me
by your resonating light

but now i'm bound by the life you left behind
your face it haunts my once pleasant dreams
your voice it chased away all the sanity in me

these wounds won't seem to heal
this pain is just too real
there's just too much that time cannot erase

when you cried i'd wipe away all of your tears
when you'd scream i'd fight away all of your fears
and i've held your hand through all of these years
but you still have all of me

i've tried so hard to tell myself that you're gone
and though you're still with me
i've been alone all along
cheguei agora do porto. mal disposta. zangada. turbilhão de emoções antigas e desusadas. arrependimento e zanga.

a noite que passou não mais se tornará a repetir.