26 de outubro de 2003


como os dias se repetem à distância do tempo...

saíres da minha vida é uma rotina como qualquer outra. saíres da minha vida não é mais nem menos comum que os dias de sol.

sabes como é que eu sei que isto não vai resultar? porque o número de vezes que sorris é bem menor que as vezes em que não o fazes.
há dias parecidos, ao longo dos tempos. há dias iguais até.

mas é pela diferença que primamos e é o que nos é exterior que procuramos.

se não te quero olhar é por te sentir estranha e exterior, sem que te consiga ver abaixo do nível da pele.
nada sinto que não o teu impermeável silêncio por entre os minutos.

minha vida... palavras como intervalos dos silêncios.
nada tens a preocupar-te. 600 km serão suficientes para que a minha presença rapidamente se desvaneça dos teus dias.

há distâncias que ajudam a esquecer.
a tua é uma delas.