7 de junho de 2004

dói-me o colo...

como se te tivesses sentado e, agora que te levantaste, tivesses deixado nele (ainda) a tua presença...

Sem comentários: