30 de setembro de 2004

e assim se passam os meus dias...

we're a bit frengers, like the others would say... not quite friends but not quite strangers...

encho os meus dias de música. playlists que escolho a dedo, cuidadosamente ao longo do dia.

não pensando bem no assunto, somos frengers... agora que penso pouco no assunto...



There're no words to say
No words to convey
This feeling inside I have for you
(...)
Look at me losing control
Thinking I had a hold
But with feelings this strong
I'm no longer the master
Of my emotions

24 de setembro de 2004

speechless_ on air...

amanhã (25 de Set.),
a partir das 22h em 105 FM (região de Aveiro)
ou em emissão online, em http://www.terranova.pt

23 de setembro de 2004

diz-me quem és tu de novo...

para que eu possa perceber... como podes tu ainda levar-me ao deslumbre do que existe. como podes tu rasgar as janelas por onde entra a luz que me é vital à sobrevivência.

diz-me quem és tu de novo

para que eu possa perceber porque procuras a minha mão quando caminhas ao meu lado na rua.

diz-me quem és tu de novo

para que eu o possa recordar, nunca o possa esquecer, para que as janelas nunca se fechem... para que o meu olhar não se desvie mais do que tu és, quem és tu? quem és tu de novo?

que sabes tu que eu ainda não saiba? e porque o ignoras se o sabes, como eu sei quem és tu. de novo.

20 de setembro de 2004

de volta...

de volta à rotina do "não fazer nada".

reencontrar todas as caras que preenchem, desde há três anos, os meus dias... caras que gravo na memória, como numa fotografia inalterável.

perder-me, diluir-me neste calor de fim de verão.

encontrar-te.


"i bet you're hard to get over"

16 de setembro de 2004

Deixa-me só seguir o rumo de outro sentimento
Que acontecer
Nem tudo o
que nos ata
Nos pode prender

Porque há sempre
Uma maneira de
recomeçar

O que se quiser






foto por Ye Rin Mok. mais fotos, aqui

12 de setembro de 2004

estou apática...

não sinto nada.
nem o múrmúrio do frio nem os gritos de sol por entre os rasgos de nuvens.

espero que voltes.

que o tempo volte atrás e eu me encontre sentada, no fim do dia, em frente a uma janela que me deixa voar. a música pela sala, uma voz cálida que me enche a noite e a madrugada.

conhecer-te.

falar contigo à janela, olhando o mar e a lua cheia por cima dele. dizer-te que, o que precisas é de cá vir, olhar o que eu estou a olhar. e chegares. e não ver mais que os teus olhos. mão no joelho.

reconhecer-te.

9 de setembro de 2004

os teus dedos entrançados nos meus pensamentos

dias que já passaram... manhãs bem cedo. neblina matinal.

apertar-te. segurar-te com estas duas mãos, com estes dois braços, com este corpo. apertar-te assim, com o olhar à flor da pele... a boca pedindo água e calor, e suor e sentidos. o que é nosso e de mais ninguém. isto tudo, assim tão sentido, tão estranhamente sentido.

e não há nada que me pertença que não tenhas.

se tu sabes, se eu sei...

qual é o passo à frente?
tipo, muito à frente...



mais fotos, aqui
há sempre uma maneira de recomeçar
... se se quiser...