4 de novembro de 2004

apetece-me falar-te baixinho, sussurrar-te ao ouvido e que tu ouças tudo, tudo compreendas. sem que eu precise de o repetir à exaustão.
(this isn't the place and isn't the time*)


lenços de papel à minha volta. amachucados pela repentina doença de inverno.


apetece-me falar-te baixinho, como falo quando tu dormes a meu lado. falar-te como falo para dentro de mim, contar-te histórias que só se passam cá dentro. contar-te imagens que tenho pendentes no olhar, mesmo que me sento à frente do computador para trabalhar, quando leio um jornal, quando me sento junto ao mar. apesar de, nesses momentos, não te ter comigo (que a companhia faz muito os lugares).

apetece-me falar-te baixinho. em português, em inglês, juntar palavras em francês, em alemão... dizer-te ni hau (que é a única coisa que a .j. me ensina em chinês). continuar mensagens com duas ou três semanas de antiguidade, continuar frases com um ou dois meses de atraso.

apetece-me encontrar-te por acaso para te poder falar baixinho, olhos nos olhos, forçando-te a chegar o teu corpo ao meu, procurando o correcto sentido das palavras.

o teu joelho a tocar o meu.


*- over the rhine, "when i go"

2 comentários:

M. disse...

Oi girl! Your words are so beautiful! All of them... e nem tds as pessoas sao dotadas dessa capacidade! Lucky the one who can hear them for real... Kiss kiss***

Damon disse...

espero que já estejas melhor... *