20 de março de 2005

ali ficaste-me tu.

como se pudesses ficar pelo caminho, ficaste ali. num momento intacto.

fizeste-me as perguntas mais difíceis que alguma vez me fizeram e eu nunca tive comigo a resposta certa. e tu ali ficaste. como se fosses uma coisa que pudesse ficar pelo caminho. deixaste-te ficar. como se ninguém te pudesse tocar. como se ninguém te pudesse deixar, a não ser tu.
e ficaste-me para trás. sem que eu pudesse arranjar uma resposta ou tempo sequer de te perguntar as perguntas mais difíceis que alguém te possa alguma vez, ter feito.


hoje custa-me a debilidade.
hoje custa-me a humanidade.

Sem comentários: