29 de janeiro de 2006

não te perdi a ti, perdi o mundo*

tenho inúmeros poemas dentro de mim.. palavras que custam a ordenar-se no papel. a cerimónia da organização do alfabeto.

sonhei contigo esta manhã. e lembrei tudo aquilo que esforço por não lembrar. e dói-me o corpo na exigência de ti.




*ingeborg bachman

21 de janeiro de 2006

letter read

é assim que eu me sinto...


My love, my love, my love
How could you do this to me
My love, my love, my love
You were supposed to be
And I shouldn't have to tell you to explain yourself

My love, my love, my love
How could you do this to me
My love, my love, my love
You're not enough for me
And I shouldn't have to tell you to explain yourself

All I have is your letter read
And I cannot get it out of my head

And I'm afraid, and I can't breathe
And I'm in love with you
But you are not with me
And I have put so much into a life
I made too much about you now to lie

My love, my love, my love
How could you do this to me
My love, my love, my love
You're not enough for me
And I shouldn't have to tell you to explain yourself

But all I have is your letter read
And I cannot get it out of my head

Time passes by
While I wait for your call
Time passes by
I hear nothing at all

And I'm in love with you
But you are not with me

Rachel Yamagata - Happenstance

11 de janeiro de 2006

não tenho tido nem tempo nem vontade....

podia culpar unica e exclusivamente os exames mas a culpa não é só deles...

talvez volte aqui noutra ocasião para explicar... ou talvez não...

o que haverá para explicar quando as palavras nos faltam?

5 de janeiro de 2006

sim, curios@s, a passagem de ano foi cheia de calor humano, apesar do frio que se fazia sentir na rua. foi passada entre saltos no meio da rua, bandas jugoslavas e djs com quebras nas passagens de discos, muita gente a olhar pra nós, eu armada em ursinho carinhoso, detentor de todas as coisas boas do mundo e muita muita muita sangria à mistura (bem, pelo menos para mim!). e o ano começou bem. e o ano anterior acabou. acabou assim. com um ponto final às 23.59. com um ponto final final final final. e este começou. simplesmente começou. com calor humano e sorrisos e muito teor alcóolico e fotos menos aconselhadas a menores e pessoas impressionáveis (coitadinho do menino-vítima que se pôs nas nossas mãos e deixou que lhe fizéssemos trinta por uma linha...). começou com pessoas que mal conheço e com pessoas que gostaria de conhecer melhor.

um começo de novo.
deitar a cabeça na almofada e despedir-me.
adeus.

3 de janeiro de 2006

tchk tchk tchk

de tesoura em punho para aparar as histórias cabeludas de 2005 e de mente bem aberta pra aceitar o que os dias me trazem.

mais um ano de barriga redondinha por ser par... uma passa e meia ao som das badaladas não faz mal pois não? é o segundo ano sem as doze "tradicionais"...

muita sangria, uma casa bem fresquinha mas muito e muito calor humano. o que vale é que pareço um ursinho carinhoso quando bebo! LOL....

enfim.... os cabelos (e as histórias) estão cortadinhos e prontos para 2006.

que venham as surpresas.