18 de outubro de 2006

roots

quando vemos que não é este o nosso chão...

quando vemos que estas raízes que pensavamos ter plantado não são afinal tão profundas nem da espécie que pensavamos (pensavamos um sobreiro, saíu-nos um carvalho...).

quando sentimos, quando sabemos (quando o saber se apodera de nós, quando a consciência do que as coisas são nos atinge) que não somos quem pensávamos que éramos. que as pessoas que nos rodeiam não são quem pensávamos que eram....


são raízes que mirram e morrem. na urgência de uma poda eminente.

1 comentário:

Anónimo disse...

procuramos nas nuvens, na areia da praia, nos olhos marejados de lágrimas, no teu sorriso aberto... algures descobriremos terra fertil para voltarmos a crescer.