25 de junho de 2007

"All the pages that are blank all the songs yet to be sung"

aqui onde não tens nada a esconder, abres de par em par o peito e, de dedo em riste, apontas cada órgão pulsante numa apresentação formal das partes que te constituem.

as costelas, pulmões, coração. o esterno e a coluna vertebral. a contracção do diafragma num exercício de vida.

de regresso a casa. como se soubesse sempre os trilhos a percorrer.
ruas que ainda têm o meu cheiro, onde o verão já anda no ar, onde a tua fragrância ainda paira no ar.
ruas que reconheço de olhos fechados como que por intuição. o saber vivido, aprendido à custa de muito olhar. de ver, assim com os olhos inteiros como o casario se recorta de encontro ao azul do céu.






She has a home outside this little picture frame
You're not in it and she wants someone to blame

1 comentário:

.....e Capricórnia sou eu!!! disse...

Miga linda,

essas tuas saudades do porto.....

que alma caramba!

:)

O besso miuda mais que gira!