20 de setembro de 2007

forbidden colours

Jantáramos os dois pela primeira vez:
amizade ou amor, pouco interessava
desde que alí estivesses. O meu mundo
ia mudando à medida do teu,
a cada gesto vão da vã conversa
antes que fôssemos pIo Bairro Alto
e enfim o Lumiar, a tua casa.
Eu podia contar uma história, dizer
como aquele rosto atravessava o meu -mas não,
«nada de narrativas, nunca mais».
Apenas a certeza de estar morto
há tanto tempo, que já não me lembro
de cor nenhuma dos teus olhos. Não,
já não existe o dia nem a noite
e este silêncio deve ser talvez
a única resposta. É bem melhor
ficar à espera de que não regresses.



Fernando Pinto do Amaral
A Escada de Jacob
Assírio & Alvim






my heart has forbidden colours...

6 comentários:

indigo des urtigues disse...

Muito bonito o novo visual!

ilusão de uma espera...aiai :)

Beijo

Anónimo disse...

Adorei essa foto!

hmmmmm

Beijo
J.

Anónimo disse...

perfumado de frutas. o jantar.

e o bairro alto começou a rir-se nas sombras, depois de começar conversas em pequenas palavras soltas, nunca estórias.
e de pálpebras fechadas nunca se vê a cor dos teus olhos. nem a luz.

Anónimo :P

speechless disse...

e nada mais interessava, desde que ali estivesses... ;)

Anónimo disse...

se soubesses como isso é tão verdade!

speechless disse...

pois... isso já não sei...