28 de agosto de 2009

e se um desconhecido te convidasse para jantar? isso era........ Londres

londres tem-se revelado uma surpresa a vários níveis. uma das experiências mais surreais e mais desarmantes é, sem sombra de dúvidas, ser abordada no meio da rua - e atenção, não estamos a falar em situações do género bairro alto onde anda toda a gente na rua à noite a beber um copo e aquilo se transforma num bar ao ar livre mais que um bairro. não, estamos a falar em ser abordada no meio da rua, em plena luz do dia e ser convidada, por exemplo para jantar. a primeira vez fiquei completamente desarmada.

saia tranquilamente do autocarro perto de casa e, enquanto caminhava em direcção a casa, o rapaz que caminhava ao meu lado começou a falar comigo como se fala com um amigo com quem se caminha. "olá, és muito bonita, ah e tal, és de onde? ah e tal, posso-te pagar o jantar amanhã à noite?" foi um bocado surreal até porque quando ele começou a falar comigo, fê-lo de uma forma tão despreocupada que eu nem percebi que aquilo era comigo.

mas isso já foi há uns meses e eu pensei "pronto, tenho de levar com os maluquinhos até em londres!". isso foi há meses...

a semana passada, estava eu num dia de stress e neura (a combinação bombástica dos últimos tempos) com poucas horas de sono, olheiras até aos joelhos, cara de poucos amigos (vocês já sabem como é), phones nos ouvidos, a ouvir Rodrigo Leão, na minha, a ver as pedras da calçada e à procura de um sítio para almoçar quando vejo um rapaz a dar uma corridinha ao meu lado e a fazer-me sinais. lá veio a minha veia latina ao de cima e pensei "olha que giro, alguém que precisa de direcções, vou ser simpática que também gosto quando são simpáticos comigo". pus o melhor sorriso que pude, tirei os phones e diz-me o moço "olá........ desculpa tar-te a seguir mas........... eu sou o stephen......." e encolheu os ombros. tadinho... sério... fiquei com pena dele porque logo de imediato, a minha cara fechou-se e só lhe disse: sorry, i don't have time for this... e, de repente, o moço que me pareceu tão simpático, tão perdido, como se aquilo fosse a primeira vez que ele fazia aquilo endireitou-se e diz-me muito sério, Yes you do. fiquei indignada. olhei para ele e disse, olha, n é por nada mas tou com pressa, tenho sítios onde estar, pessoas pra ver... i'm not interested (o que eu devia ter dito era, i'm NOT that into you mas essas coisas nunca nos vêem à cabeça quando estamos com a neura).

e lá me fui embora, de novo com o rodrigo, deixando para trás o stephen tristonho e indignado porque o raio da gaja que nunca parece europeia e é sempre confundida com libanesa ou sul-americana (há quem diga que tenho ar de peruana mas eu juro que só faço glugluglu debaixo de água!), o deixou assim... especado perante uma tão espectacular abordagem.

a minha questão é: isto é normal? há gente que realmente arranja relações com este tipo de abordagem? ou há quem acredite que arranja relações com este tipo de abordagem? se calhar é uma coisa cultural e eu não percebo...

mas confesso... passado 5 minutos até fiquei com pena do stephen e com vontade de voltar para trás e dizer-lhe... man, desculpa lá, tiveste um azar do caraças que eu tou com uma neurose poderosa... mas não desistas que o ego feminino fica bem-disposto para o resto do dia com uma abordagem dessas... pode ser que alguém entretanto te dê trela mas eu realmente.... i'm just not that into you...

2 comentários:

Joana disse...

Pelos vistos por estes lados é bastante frequente.. Pior k isso é irem directamente para um pedido de casamento.. --'

indigo des urtigues disse...

secalhar as pessoas andam na rua em busca de um romantismo que as salve e façam encontrar aquela pessoa...