23 de outubro de 2010

sinto-me definhar. não fossem estas pequenas alegrias, a lembrança de alguém que chegou de longe, as amizades que se vão firmando e pensaria que estava sozinha. Apesar de estar.

Sei que estou. E que essa é uma opção.

Deixo de me entender. de querer entender-me. de querer falar.

muito álcool no sangue, é esse o problema destas quase seis horas da manhã...

1 comentário:

Anónimo disse...

as tuas palavras mantem-me viva esta noite