18 de fevereiro de 2013

o corpo recorda-me da sua fragilidade

e, entre cãibras e reacções menos literárias, resultantes dos fluxos estomacais, da bílis e do fel que tudo toma, vou pousando o ouvido nisto, esperando que o corpo se resigne à sua condição de mortal.

Sem comentários: