28 de maio de 2013

Quando a adrenalina passa e o coração passa a bombar sangue a um ritmo normal. 

Há um vazio. Sem nenhuma falta, sem nenhuma forma. Um vazio apenas. Não uma ausência. Apenas o nada, o zero. 

Sem comentários: